Você também está de saco cheio desses filmes clichê???


Está me faltando muita, muita paciência para assistir filmes e seriados ultimamente. Isso, porque não entra na minha cabeça que alguns roteiros sejam tão repetitivos, como:

- Todo amor tem que ser dolorido, sofrido, cheio de drama e impossível;
- Todo filme com tema "sexo" é deprimente, cheio de culpa e autocrítica;
- Todo mocinho tem que ter um arqui inimigo que o faz penar até chegar sei-lá-onde-ele-acredita-que-tem-que-chegar;
- Filmes de comédia estão cheios roteiros sobre golpes e malabarismo para administrar mentiras inventadas para: comer mulher, conseguir um cargo, ser admirado pelas pessoas e por aí vai.

Cara, não entendo isso, sério mesmo! Não entendo por quê essa merda toda dá ibope, enredo e bilheteria. É merda com título e trailer bonito, mas merda.

O que me faz pensar exatamente que é essa realidade que a maioria das pessoas criam para si mesmas, pois as telas só são o reflexo do inconsciente coletivo. Todo enredo tem uma mensagem subliminar. E toda mensagem subliminar alimenta universos íntimos. Ela reforça algo que acreditamos, caso contrário, não conseguiria mexer com nossas emoções como choro, riso, raiva ou medo. Nossa emoção é a própria validação da coisa toda, saca?

É óbvio que existem filmes maravilhosos com profundas mensagens e reflexões, que não se encaixam nos clichês, são exceção às regras. Já a maioria das séries, começam bem no ideal e mensagem que querem passar, mas vão se perdendo no labirinto das tramas infinitas e descambam para finais clichê. Uma pena.

Quer entender a cabeça do mundo? Veja os filmes que estão bombando. Em sua maioria, são roteiros que contam estórias de desamores, impossibilidades, sempre enfatizando o lado underground do ser humano. Tipo, mais do mesmo.

Ok. É positivo? Sempre é de algum modo. Mas não poderia ter uma variação com filmes sobre amores que se tornam possíveis, sobre projetos que transpõem obstáculos fuderosos pelo espírito da equipe incansável (ok, tem vários desses de beisebal), ou inimigos que percebem a absurda perda  de um tempo precioso, quando dão mais atenção à vida do outro, do que a dele mesmo??? E as comédias? Não pode rolar roteiros onde pessoas são engraçadas, porque são sinceras e autênticas? E sexo, não rola uma estória provocante, sensual de auto conhecimento e coisas maravilhosas???

Resumo: o que chamamos de "entretenimento", não passa de uma monte de porcaria enlatada que nos incute na caraminhola que tudo é complexo, turvo, desonesto e difícil. Um verdadeiro pé no saco esse foco hollywoodiano na miséria humana para todo tipo de coisa.

Você sabe, a vida é simples. Ela é simples quando a nossa comunicação é simples, a forma de se sentir se torna simples. Porque nada tem drama, o drama somos nós quem encarnamos, literalmente. Um drama aprendido desde bem pequenino no desenho animado, nas séries, nas novelas e repetido inconscientemente no cotidiano.

Minha dica é: escreva o roteiro da sua vida. Não o torne complexo. Simplicidade é a beleza da coisa toda.

Ah, e assista mais biografias de superação, ação e tudo que te coloque para o alto. Recuse roteiros sem criatividade, que denigrem a capacidade do seu cérebro em fazer novas escolhas.

Abraços!
Monik Ornellas




Postado por Monik Ornellas

E essa MILÂNCIA IRRACIONAL da VERDADE, hein?

Estamos no Iraque Virtual?

Não, é o Brasil mesmo.

Isso tudo por que, muitos acreditam em determinado lado da história e outros, em outro lado da mesma história, sendo que, nenhuma das partes, nunca, nunca saberá qual é a verdadeira realidade por trás dela.

Você sabe que é verdade o café que tomou de manhã, foi real, você estava lá, o café estava quente e chega deu uma ondinha de cafeína (verdade só minha, rs). Mas saber quem é mocinho ou bandido no Planalto? Alguns até dá, mas todos? Não dá.

Histórias sobre governos são somente fachadas, o que acontece de verdade nos bastidores meu povo, ninguém nunca, nunca irá saber. Mesmo com ligações rastreadas, inquéritos, meias provas e tudo mais, nem 10% do que rola está perto de vir à tona.

Mas tal como a novela das 8 e BBB, é drama, dá frisson, tem fofoca, jogos vorazes do poder, causa burburinho, dá ibope e mais do que tudo, passa uma falsa ideia de que você é engajado e sabido de política. Mas, olha só: não sei quantos milhões de pessoas em esquinas, elevadores, escritórios e banheiros também acham essa mesmíssima coisa. Todos são muuuito sabidos! Todos lêem os mesmos jornais e matérias manipulados que você, ora veja só!

Com tantas informações desconexas de uma realidade turva, tá armado o apedrejamento mútuo coletivo irracional!


Todos estão certos e todos estão errados 
dentro dessa realidade multifacetada e manipulada.

É uma perda de tempo e de energia brigar por isso, mermão! Digo, é perda de tempo brigar para provar que sua percepção está certa, mas não o é brigar pelos seus direitos e responsabilidades de cidadão, CIVILIZADAMENTE!

Esse blog não fala sobre uma realidade comum, busco trazer luz para a reflexão pessoal dentro de uma realidade onde somos criadores e co-criadores desse circo.

Fala por exemplo da palavra respeito. E embora a realidade seja relativa, o conceito de respeito não é.

Quando você se dá o direito de ter uma opinião, mas não respeita o direito do outro, está fazendo o mesmo que o governo, os bancos e as grandes empresas fazem com você. Logo, você e o governo são farinha do mesmo saco.

Só para lembrar: isso aqui não é Ditadura amigo, é Democracia. Lugar esse, onde cada um tem o direito de pensar a merda que quiser!

Se, você faz isso com pequenas opiniões numa rede social, caso tivesse poder, talvez seria uma versão Hitler brasileira sem bigode, ou não. Criação é uma coisa só e pequenas atitudes dão origem às grandes.

O problema da ausência de auto-percepção brasileira, faz com que todos façam tudo que o governo faz em menor escala, utilizando a justificativa de agirem como agem, porque o pseudo-Governo-du-mal, faz o que faz.

E mais uma vez, os certos estão errados e os errados estão certos, pois a pegadinha malandra do poder é que ele está nas pequeninas atitudes daquele ser humano que você encara todo dia no espelho.

E assim, vamos caminhando brasileiramente daquele "jeitinho" que já caiu no pejorativo, de escândalo em escândalo, até o dia em que pessoas, uma a uma, enjoarem desse modus operandi e resolverem ser o exemplo de um mundo melhor por si próprias, assim como quem não quer nada, só para se sentir bem ao deitar no travesseiro.

Quando isso começar a acontecer, por meio do exemplo de seus pais, as crianças receberão educação adequada, noção de valores, limites e tudo mais que caminha com uma maneira sustentável de viver em sociedade. E dessa forma, teremos não só um povo consciente da sua responsabilidade de respeitar, manter e crescer, como um governo que lhe corresponderá em gênero, número e grau.

Mas nunca ao contrário cara pálida.

Trago seu Amor Próprio em 1 post

Não sou expert em assuntos do coração, mas, como todos nós palpiteiros-humanos: vivemos, digerimos e cuspimos nossas auto-verdades. Esse post é um pouco disso.

Um resumo do amor-próprio que fui lapidando ao longo de algumas surras emocionais da vida.

Não acredito em relacionamentos perfeitos, porque nós animais humanos, não somos perfeitos, mas, se nos esforçarmos em aprender com aquilo que vivemos, sempre carregando pensamentos e atitudes positivas em relação a nós e nossas expectativas, tudo pode dar certo, porque teremos os pés-no-chão necessários para fazer com que nossas relações nos levem à outros patamares de nós mesmos.

Então, seguem algumas dicas minhas para você fazer alguns despachos maneiros, tipo, inseguranças, viagens na maionese e pirações sem noção, blz?

Não queira quem não te quer. Simples e direto.
Homens e Mulheres fazem,
seja honesto com você com o outro.
Ebó para quê? Querer pessoas que não estão afim de você é = você se odeia e tem baixa autoestima.

Eu sei que é difícil quando alguém que você está amarradona e arrastando caminhões de bosta te dá um pé na bunda, fazer o quê, coisas da vida. Levante a cabeça, sacuda a poeira e siga em frente.

Agora não entra numa de sair da brincadeira fazendo a linha "ele não sabe o que está perdendo", é palhaçada essa porra, coisa de gente insegura. Nem ele e nem você estão perdendo absolutamente nada, a não ser tempo e estresse numa parada que não corresponde suas expectativas. O ideal dos ideais, é não tê la - a expectativa-, algo quase impossível para nós seres ansiolíticos crônicos da vida moderna.

Entenda uma coisa, correr atrás de quem não te quer, reforça de uma forma inconsciente a dinâmica de não sermos bons ou merecedores o suficiente de um relacionamento maneiro e sadio. Então, seja forte e desencana.

Coloque os Pés no chão e veja a real.
Quem quer, realiza. Dá sinal, liga, responde, faz acontecer. Então, se liga nesse modo operante dele ou dela de criar desculpas e justificativas para o quê não é justificável.

Se ele quisesse ligar, ele ligaria, se quisesse chamar, chamaria. Contra tempos acontecem, mas observe atentamente os feedbacks, afim de C O N H E C E R  a dinâmica do outro. Não para jogar na cara, não para chantagear, não para criar dramas e discussões, e sim, para você se posicionar dentro da situação e escolher, se vai ou se fica.

Normalmente, as pessoas não se empenham em conhecer a dinâmica do outro. Rola a paixonite, a criatura se encanta de tal forma que flutua para o mundo da magia-sem-noção onde o gatinho(a) são os super-perfeitos-da-estrela. I S S O  N Ã O  E X I S T E.

Como ela atua sob estresse? Como ele é com você, quando está perante os amigos? Como ela age quando está apaixonada ou algo é do seu interesse? Veja a real.

Em específico as mulheres, mesmo sabendo que os caras estão dando desculpas indesculpáveis para atitudes como falta de respeito e cuidado, elas ainda assim, esperam que eles digam frases mentirosas que as façam sentir-se aceitas momentaneamente. Parece que é preferível ser enganada do que admitir a real da situação, que pode ser: ele só quer te comer, ela está te engalbelando, cozinhando em banho maria, ou mesmo mantendo no forno junto com todas as outras.

Eu acho tudo bem para qualquer uma dessas situações, desde que eu tenha a plena consciência disso, e faça minha escolha se quero entrar ou sair da brincadeira. Mas vejo que a maioria prefere se enganar para não entrar em contato com a rejeição.

Todas as pessoas mostram como são, basta você abrir os olhos, os ouvidos e querer enxergar o que é óbvio. E as vezes, o óbvio pode ser muito bom!

Não se iluda! Nós mulheres temos o péssimo hábito do auto engano.

Assista a esse filme como se estivesse num curso online de "colocar os pés na realidade":

Não faça jogos.
Transparência atrai relacionamentos transparentes. Jogos atraem relacionamentos turbulentos.

Jogos para criar ciúmes,  jogos para mostrar que você não se importa e dizer que é segura, jogos para se vingar, jogos, jogos, jogos.

Não há como criar um relacionamento legal, feliz e transparente se você tem o hábito de ficar o tempo todo jogando para obter reações positivas de alguém. Imagina se você engata num namoro,  o quão cansativo será sustentar um relacionamento baseado em jogos?

Se tem que fingir não ligar, fingir que não se importa ou qualquer outra dinâmica que não tem a ver com a forma na qual você se sente, cai fora.

Todos somos inseguros e neuróticos em algum nível, se você não pode ser autêntica, não vale a pena.

E nisso eu já coloco o pé no próximo item:

Seja você mesma sob qualquer circunstância.
Relacionamento onde você tem que ser o fantoche-do-sim, não vale a pena. E isso acaba voltando para o primeiro tópico do "não queira quem não te quer".

Viver uma história onde você não pode ter seus defeitos, suas inseguranças e fragilidades, não rola.

Porémmmm, entenda que, colocar no outro todas as suas neuras e inseguranças ao ponto de atazanar a vida e o equilíbrio da relação,  N Ã O  É  L E G A L!

Ser você mesma, é muito diferente de achar que o outro tem que aturar suas loucuradas porquê  "você é assim mesmo". Gente neurótica e sem noção cansa, psicólogo taí para isso amiga(o)! Invista numa auto estima equilibrada.

Só Existe um Único Amor na Vida
Sim, o Amor Próprio.


Fora esse, existem várias possibilidades de conhecer e amar das formas mais diferentes e inusitadas. Se seu nível de amor próprio é legal, é possível construir belas histórias e viver o que há para viver dentro delas, com ou sem final feliz. Que seja eterno enquanto dure.

Então desancana da ideia de que ele ou ela é o único amor da sua Vida. Estamos em 2016, faça um upgrade nas suas crenças e saia da princesa abandonada para a amazona que cai dentro das próprias realizações.

Não existe a pessoa Ideal
Todos temos defeitos, peidamos e arrotamos. Não existe a pessoa ideal e perfeita.

Podemos nos conectar com alguém em diversos níveis: sexual, intelectual e etc, mas, o crescimento do relacionamento se dá pelas dinâmicas que são criadas dentro das situações da vida. Acredito que, se conseguirmos aceitar as nossas mudanças e as mudanças do outro ao longo tempo, e ainda assim, sempre encontrar um ponto convergente de amor e admiração, isso é perfeito para mim.

Existem milhares de pessoas que são experiências ambulantes maravilhosas de se compartilhar, mas muitas delas podem não corresponder ao modelo Ken de homem, aliás, os homens andam bem aquém do Ken. Além de ser algo totalmente irreal.

Pessoas perfeitas tem algo de errado. 

Estranho? Eu penso o seguinte: um relacionamento perfeito acontece, quando duas pessoas se aceitam mutuamente em diversos aspectos, inclusive e principalmente dentro das suas individualidades, respeitando liberdade, escolhas e etc.

Partindo do princípio que a maioria das pessoas buscam "alguém que as complete", entendo que, quando alguém me diz que fulano é "perfeito", entendo: Ou ela está apaixonada, só vendo o quê quer vêr, ou, fulano é a marionete do "sim, meu bem" e ela continua vendo só o quê quer ver, ou, ele está no papel do Dom Ruan falando as frases certas para conquistá-la, escondendo quem e como ele realmente é, e... ela continua vendo, só o quê quer ver.

Entrar em contato com a realidade e ver que aquela pessoa perfeita, não é tão perfeita assim, dói, quem sabe até, desanima. A realidade pede ação e decisão. Por isso, muita gente prefere usar o óculos da auto ilusão.

Mas e se estiver dentro dos seus limites aceitá-la e amá-la do jeitinho torto que ela é? E se... a recíproca, for verdadeira??? Match!!!

Aprenda a Experimentar (específico p/ mulheres)
Não é porque você saiu com um mané e rolou uma transa, que tem que namorar com ele.

Ele é bom de cama?
É um cara legal? É parceiro? Te causa admiração?
Já o conheceu o suficiente para saber as neuras e escrotices dele?

Se tem uma coisa que acho muito legal de hoje em dia, é podermos experimentar gostos de diversos sabores.

Mas as mulheres por mais modernas que se digam ser, ainda carregam dentro de si uma culpa em relação as suas transas, e isso faz com que busquem um relacionamento com um cara só porque deu para ele. O cara nem foi bom de cama, ou, até dá um show na horizontal, mas é um pesadelo no cotidiano.

Cara, esse maluco não é para você! Aprenda a dizer não, mesmo que o sexo seja insano. Sexo com bad trip depois é uma merda federal.

Parece que estão sempre mega desesperadas por qualquer homem-merda, o que tem de sobra por aí, sem perceber que eles são pesadelos-emocionais-ambulantes.

Corra deles! Melhore sua auto estima e refine sua vibe, que homens super maneiros aparecerão.


Pergunte-se: Eu namoraria comigo?
Essa é a pergunta que não quer calar! Depois que me perguntei isso, após uma surra emocional homérica, minha vida mudou. Muito provavelmente, se você já carrega uma lista básica de desilusões amorosas, as respostas à essa pergunta não serão muito confortáveis, mas são necessárias para você cair na real e se realinhar.

Se você quer um príncipe, precisa ser uma princesa. Mas, Atenção, isso é uma metáfora, ok?

Não tem a ver com o ser o modelo barbie de princesa. Estamos em outra era, com outras demandas de relacionamento. Tem muito mais a ver com o quanto você está bem resolvida emocionalmente com suas questões internas.

Faça essa pergunta sem medo e com total sinceridade para você, relacione as respostas. Depois caia dentro para colocar cada uma delas em dia, afim de se sentir apta para um relacionamento real e sadio.

Não Existe Modelo Ideal de Mulher ou Homem, ENTÃO, Ame-se!
A bunda é pequena, mas é sua.
O peito não tem formato de pingo de leite, mas é seu.
O pau, o bíceps ou o tríceps não são tão grandes, mas são teus.
As pernas são finas, mas são suas.

PARE DE ARRUMAR DEFEITO NO SEU CORPO!!!

Não importa o formato que ele tenha, é com ele que você dorme e acorda todos os dias. Odiar certas partes do próprio corpo, é como assinar um contrato vitalício de auto insatisfação. E não se engane, isso tende a crescer.

Com as redes sociais e com essa globalização sobre o "corpo ideal", homens e mulheres sofrem por não fazerem parte do mundo dos "magros, perfeitos, malhados, sarados e aceitos pela sociedade". Isso está num nível de doença.

Vou te contar um segredo que as industrias de emagrecedores, lipos e dietas não contam: NINGUÉM PRECISA TE ACEITAR, NEM TE AMAR PARA VOCÊ SER FELIZ. E mesmo que todas as pessoas te venerem, se, você não se aceitar e amar do jeitinho que você é, nunca, absolutamente nunca se sentirá feliz e satisfeita com a vida.

Então, só uma pessoa precisa gostar de você: VOCÊ MESMO(A). Coisa boa, né?! Muito mais fácil de resolver.

É por aí...

Nunca desista do Amor!!!
Não importa quantas desilusões você tenha tido, acredite no amor. Não importa se você é um brutamontes, uma patricinha ou uma mãe de família, somos como plantas, o que rega nossa vida de beleza e alegria, é a crença interna no amor. Não só nos relacionamentos, mas em todas as coisas. Então, não se permita deixar secar.

Vejo muitas pessoas usando suas desilusões amorosas como escudo e jogando a responsabilidade de ser amado nos ombros de seus parceiros. Esse comportamento nos leva à uma espiral constante de falência amorosa. Ninguém é responsável pelo seu sofrimento, seja ele passado ou presente.

Entenda o seguinte: você precisa se repaginar, aprender com as situações, crescer, se apoderar cada vez mais de você mesmo e continuar acreditando no Amor, sabendo que deu sempre seu melhor, sem jogos ou concessões.

Acredito de verdade, que o Amor começa quando começamos a gostar do nosso jeitinho, daquele pseudo defeitinho que é só nosso, quando nos damos carinho e atenção e daí, em correspondência ao nosso amor próprio, alguém fenomenal aparece para caminhar junto.

Então, não importa o quanto tenha doído, faça a digestão da experiência, repagine-se positivamente dentro dela, deixe ir comportamentos nocivos, empreenda novos e quando se sentir novo, abra-se para o Amor, sempre.


Beijos e Feliz 2016 com muuuuuuito Amor!!!

Monik Ornellas



Post Haters, os Ditadores de Opinião

Estamos vivendo a ditadura da Opinião.
É proibido tê-la, como também é proibido, não tê-la.


A não ser que você seja altamente, totalmente politicamente correto, um ser mamão-com-açúcar, um morde-assopra ou qualquer coisa que agrade à todos e não mexa com nenhum grupo sei-lá-do-quê, tu tá fudido amigo!

Vivemos o momento da segregação, você precisa optar por um lado, o que significa não ser do lado oposto, muito embora, em qualquer um dos lados que escolha, fatalmente, você será ser atacado de todos os lados.

Se você gosta de comida vegana, será repudiado por quem não gosta de legumes, não necessariamente, por quem é carnívoro, mas também;
Se gosta de sertanejo, será repudiado pelos pseudo-culti-musicais;
Se gosta de funk, depende, porque está moda odiar funk, como também está na moda venerar o funk;
Se não gosta de MPB, os pseudi-culti-musicais também vão te crucificar e assim sucessivamente para Rock, POP, Música Clássica ou seja qual for o gosto musical que tiver;
Se gosta de Paulo Coelho, 50 Tons ou Crepúsculo, se mata!
Se não curte lances radicais, tu é um merda sedentário-da-porra;
Se curte skate, é odiado por quem curte bike;
Se curte bike, é carcado por quem é pedestre;
Se gosta de golf ou tênis, tu é um riquinho-metido-de-merda;
Se, se amarra em Marte, você é hippie-sem-noção ou será tachado por quem curte Júpiter...
E não tem fim.

Embora todos queiram e tenham uma opinião, é proibido tê-la, a expor, beira a crucificação. Pessoas perdem emprego, são excluídas de redes sociais, marginalizadas virtualmente e em muitos casos, fisicamente.

Sim, existem pessoas que de tão radicais em sua opinião, são intoleráveis. Mas não é sobre isso exatamente que estou falando, e sim sobre esse fechamento mental para a verdade e a realidade que é do outro.

Os haters, nada mais são que uma resistência, 
à qualquer coisa que não faça parte do seu "mundinho".

Rola uma incapacidade em lidar com o novo, o diferente e o externo, pois estes abalam suas convicções pessoais. Fora que, a resistência nos tira do fluxo das coisas.

Embora eu e você tenhamos o direito de achar aquela música uma merda, é melhor fazer off-topic, sem ninguém saber, porque divulgar gostos e desgostos anda sendo quase um suicídio virtual. É bem provável, os fãs da música/cantor te massacrarem. Ao mesmo tempo, se você gostar muito de algo que não é senso comum, ou que esteja fora do poder de alcance de pelos menos 50% da sua rede, tu também se fode, e muito!

Vivemos uma guerra de opiniões, retratada na violência virtual, nos ataques, nos posts de repúdio.

Nossas guerras todas se trataram sobre quem estava certo ou não, e continuamos nessa pegada, só que agora num mundo globalizado, onde ao invés de aprendermos com o universo do outro, o atacamos.

Não podemos ser crentes, nem macumbeiros, nem sem religião, nem homo, nem hetero, nem bi ou trissexual, nem de cor, nem sem cor, nem porra nenhuma, porque ser de um "tipo", significa não ser de outro "tipo", e um não aceita o outro, daí rola uma porradaria porque estamos vivendo uma sociedade hipócrita pra-caralho, onde todo mundo deseja um mundo bunitim, limpim, organizadim, mas tasca-lhe porrada pra todo lado quando alguém não se enquadra na fôrma. E mesmo quem se contorce para se enquadrar na maldita fôrma, sofre represálias de quem tá fim de ser "livre".

E minha pergunta é: Mas que porra de liberdade é essa que precisa do ok do mundo para ser livre?

Cara, vive a tua vida! Com maestria, com presença, com beleza! Dá um trabalho da porra viver a própria vida, e se fizer isso com total abandono, não sobra tempo para essas merdas todas.

Beije quem quiser, faço o quê e como fizer, não importa se de esquerda, direita ou do meio, só faça o que te apraz, e se, cada um fizer o seu, sem ficar comparando com o tamanho do pau do outro, ficaremos todos leves e tranquilos dentro das nossas próprias escolhas.

A Terra é um planeta de diversidades. Imagine se a tundra, competisse com o deserto que quisesse acabar com as calotas polares que estão em guerra com as savanas? O planeta implodiria. Qualquer coisa diferente do que não é igual, nos levará à extinção, seja por um DNA monótono em criatividade para expansão, seja pelas mãos daqueles que se matam, por terem escolhas e opiniões adversas.

Simplesmente viva a tua vida! Não só fale de paz, mas seja a paz. Começando pelo respeito ao outro sob todos os aspectos, mesmo aqueles de difícil compreensão. Se possível, permita-se aprender sobre as diferentes nuances de escolhas e realidades que esse planeta pode te oferecer, temos hoje em dia a oportunidade fenomenal de compartilhar tudo isso em tempo real.

São mais 7 bilhões de realidades simultâneas, 7 bilhões de verdades, de certos e errados. Existe alguma melhor que a outra? Pensa aí, reflita e vê se abre a mente.

Abraços!
Monik Ornellas

Crianças-Gremilins, a culpa é dos pais?

Crianças... o que dizer de crianças?

Eu não gosto de crianças. Tenho tolerância e apreço com aquelas que são educadas. Criança mal educada, me dá vontade de fazer sopa dela!

Mas enfim, não foi exatamente isso que vim aqui falar.

Minha pergunta é: Porquê esses projetos de gente estão crescendo como pequenos ditadores?

A culpa é dos pais! Sempre escuto isso. E sinceramente, concordo, mesmo sabendo que algumas crianças realmente não são fáceis de lidar.

Gostaria muito, muito mesmo, que houvesse um curso para pais e mães, acompanhado de um projeto de terapia intensiva para eles, por que nenhum de nós nasce sabendo como sermos bons pais, mães ou filhos e filhas no mundo.

Pai e mãe que está lendo esse texto, você precisa se capacitar!

Nos tornamos adultos, porém, muitos de nós ainda somos emocionalmente infantis e em sua maioria, carregamos montes de cracas mal resolvidas em relação aos nossos próprios pais. Como um farol, projetamos tais carências e ressentimentos nos filhos. É automático, é inconsciente e dá muito ruim!

Entre vários casos, vejo uma tendência estranha de pais culpados por não dedicarem seu tempo aos filhos, ou mesmo porque não queriam ter filhos, suprindo essa culpa com permissividade ilimitada. Querem ser pais legais, maneiros, gente boa! E para isso: "Não vamos chatear a criança, né verdade? Deixa ela quebrar a casa, fazer o que quiser! Eu já fico tão pouco tempo com com ela, não quero ser chato com essa coisa de educação e disciplina."

Estão criando monstros, literalmente.

Na minha percepção, para que eu fosse uma boa mãe, teria que limpar meu HD emocional, desfragmentá-lo, para então poder aprender bons conceitos onde eu pudesse não só ter a disponibilidade emocional para ser uma mãe amorosa, como educadora e disciplinadora, porque entendo que isso também é amor.

E não! Isso não é responsabilidade da escola!

Colocar um ser no mundo, penso eu, é um nível de responsabilidade muito alto, e vejo que a maioria dos pais de hoje em dia, não tem a menor noção disso. Eles pensam em contas, comida, roupa e etc, o que é necessário obviamente, mas, não se tocam da necessidade de se capacitarem, afim de educar um ser humano sustentável para si mesmo e para o mundo.

Acho que criança tem que brincar, tem que correr, tem que se sujar, cair, levantar, e tem que aprender limites, aprender a receber NÃO, aprender que o mundo, os pais, as pessoas e os objetos não giram em volta do seu cordão umbilical.

Então, aquele pai e aquela mãe imbuídos de um profundo, intenso e imenso amor por aquele ser-com-cara-de-joelho, resolvem lhes dar tudo que não tiveram. Tá aí, a porra do circo armado na fomentação de um ditadorzinho de merda que controla os pais que tremem de medo se a criança chora, e não tem coragem de sustentar um não.

O poder é uma merda, quando você o concede para um ser que não tem dentro de si o discernimento entre o certo errado, de forma que usa tal poder, somente em benefício próprio.

É isso que acontece com essas crianças. Como os pais não fazem a sua parte em educar e disciplinar esses reis e rainhas anãos, eles acreditam que o mundo está aos seus pés, inclusive os próprios pais.

Então, me diz, daqui uns 10, 15, 20 anos, que adultos serão esses?

Menino mimado ditador, ganhou um reino e fez dele o quintal de sua tirania.
King Joffrey Baratheon, personagem de Game of Thrones,

Eu tenho um texto que faz parte do meu livro que chama-se "O Governo é Corrupto", onde enfatizo que corrupção e tudo o mais tudo tem solução se focarmos na educação das crianças, por que elas sempre serão o futuro e a esperança do mundo. Mas crianças, se espelham em modelos, seus pais.



Crianças não nascem com discernimento, não tem noção de limites, de valores, o que é importante ou não é, o certo ou errado, o respeito às diferenças de cor, raça, credo, orientações sexuais, mutações e sei-lá-o-quê-mais. Tudo há de ser ensinado, explicado, principalmente porque vivemos num mundo cada vez mais diversificado, pluralizado e globalizado. Vivemos uma era onde não há mais como manter segredo sobre tantas coisas, o que é muito bom, porém, pede que tenhamos um nível de esclarecimento cada vez maior.

Elas dependem dos pais para lhe ensinar e cimentar a base mental e emocional que lhes ajudará a lidar com o mundo quando adultas e fazer escolhas. Precisam de base para criar suas próprias crenças, ou mesmo, terem a segurança necessária para desconstruir tudo que seus pais ensinaram, e construir algo ainda melhor.

Eu sei que às vezes, o filhos vêm nas condições mais inesperadas, e muitos pais não "tem tempo" de se capacitarem, mas ainda assim, a responsabilidade de uma boa educação e criação se faz presente, então o lance é: Se vira! Se você  não tem pulso com seu filho, leia livros sobre o tema, veja vídeos, assista Supernanny, leia textos e se possível faça uma terapia. Cure sua culpa ou sei lá o quê, e resgate seu respeito e autoridade, pois ele precisa desse exemplo para aprender seu lugar no mundo.

Acredito que cada espírito-com-cara-de-joelho que nasce, tem características e personalidades únicas e que, a cada dia que passa nascem mais espíritos que são carne-de-pescoço para educar. O que me diz que, se não houverem nesse mundo pais super amorosos, mas seguros em si o suficiente, para disciplinar e educar tais gremilins em forma de gente, em pouco anos voltaremos à ditadura, senão à brutalidade em massa.

Mendigo espancado? Será fichinha.


Postado por Monik Ornellas

Epidemia do Péssimo atendimento ao Cliente

Sou carioca e moro no Rio. Um cidade realmente linda, mas não tão maravilhosa, pois, nem tudo é paisagem.

Nos últimos anos vêm crescendo aqui no Rio - e por enquanto só posso falar daqui -, uma epidemia de péssimo atendimento, juntamente com o crescimento de preços abusivamente absurdos, em todos os setores! É uma filosofia escrota do "eu cobro quanto eu quero e você paga se quiser".

Então, a dinâmica é essa: você paga caro e ainda é escurraçado como um merda. É isso aí, literalmente.


A pior das situações é a sensação de que nada pode ser feito para que isso mude e não bastando ser mal atendido pelo infernal atendimento eletrônico de empresas, o povo anda cagando para o povo: É o trocador que não olha na tua cara, o motorista que pensa estar dirigindo um liquidificador, a moça da lanchonete que te atende rosnando, os médicos fatalistas - que também não olham na tua cara - e te enchem de remédio pelo resto da vida ou te tatuam com doenças incuráveis, é o vendedor que te olha como se você fosse um estorvo, ou na pior das hipóteses, são os profissionais de saúde que te tratam como lixo, etc, etc, etc, etc, etc....

O quê fazer? Eu não volto e não consumo, me recuso a pagar valores abusivos. Uso as mídias tais como Foursquare (agora Swam), Reclame Aqui e etc, para avisar à todos que ali você não é bem tratado. E também podemos exigir nossos direitos com processos (confesso que ainda estou capenga nessa parte). Se todos começarmos a colocar placas virtuais e reais de estabelecimentos non gratos, tudo vai mudar. Esse é o nosso poder, um puta poder!


Sabe qual é o interessante disso? O médico, o atendente, o enfermeiro, o motorista e todo resto de péssimos profissionais, esquecem que a vida caminha numa rota de mão dupla e no momento que eles saem do trabalho, se transformam em passageiros, clientes e pacientes, também. Mas é claro que eu e você gostaríamos que essas pessoas nos atendessem bem, simplesmente por que lhes faz bem, não por medo de colher os frutos daquilo que cultivam.

Estudo muito para melhorar meu negócio, na minha visão de empreendedora, grande parte da responsabilidade está na falta de formação empresarial dos donos de estabelecimentos, que tem uma administração feita nas coxas, embasada em ganhos abusivos que incluem pagar e tratar mal o funcionário, e tudo isso que resulta num péssimo atendimento ao cliente. SEBRAE tá aí meu povo! Vamos nos qualificar!

Resumindo:
- Mão de obra desqualificada;
- Falta de treinamento;
- Ausência de cultura/formação empreendedora;
- Pensamento pobre.

Pacote básico de atendimento na compra de um croquete.

Gosto de atender meus clientes com o cuidado, o apreço e a qualidade que eles merecem por me proporcionarem o prazer de compartilhar minhas criações com eles. É muito gratificante.

Todo péssimo atendente tem dentro de si o potencial de ser um profissional nota 1000. Acredito nisso verdadeiramente. Só faltam os incentivos e estímulos certos.

Do lado de cá do balcão, como cliente, não aceito nada menos que o melhor na medida do que estou pagando. Sempre na gentileza, às vezes, em tons firmes, mas nunca na grosseria. Nunca.

Não vejo como eu poderia ajudar a melhorar um serviço que já é ruim e desqualificado, sendo mal educada e grosseira. Posso ser firme, enfatizar meus direitos, exigir qualidade, mas sempre com educação.

Até porque, não será a grosseria do outro que irá me definir se tenho educação ou não. Essa é uma escolha pessoal e intransferível sobre como levo a vida.

7x1, placar da Auto Estima do Povo Brasileiro

O que para você parece somente um jogo de futebol, para mim, é um reflexo. Sempre vejo os grandes fatos como reflexo dos pequenos.

Lembrando: esse não é um blog que reforça a culpa do governo ou responsabiliza os jogadores, NÃO. Aqui busco a visão, a responsabilidade e o comprometimento individual de cada um de nós que nos dizemos brasileiros.

Fonte da imagem: Publistorm

Como você e eu lidamos com o fracasso no dia-a-dia?
Como nos apoiamos mediante a derrota?
Onde está nossa resiliência?
Porquê a arquibancada vaiou os jogadores?

Brasil é o país do futebol? Será esse nosso melhor?

Não é que 7x1 nos diga que sejamos péssimos em futebol, só nos conta que talvez não estejamos em nosso melhor momento. Nem no futebol, nem em coisa nenhuma. Talvez, nesse momento tenhamos que levar uma chulapada no campo, para que possamos olhar com mais propriedade para nossas vidas, afim de re-descobrir o Brasil.

Mas antes de mais nada, o Brasil precisa aprender a se apoiar. É jogo, logo, não é possível ganhar sempre, mas, é sempre possível aprendermos com cada placar. E esse foi muito significativo. Esses jogadores, cada um deles, estão nos representando.

Você entende o quê significa isso? Não né? Caso contrário, não os teriam vaiado, porque vaiá-los, é vaiar a si mesmo. Se é isso que você merece por ser brasileiro, ok.

Esses jogadores nos proporcionaram a oportunidade de perder "vergonhosamente" e com isso, rever a nós mesmos enquanto país. E sim, tinha que ser pank! É aquele lance de precisarmos ir ao fundo do poço, para só então poder subir. Mas, ainda tenho milhões de dúvidas se isso será o suficiente para uma real mudança.

O que me dói o coração é a total falta de respeito e amorosidade brasileira. Não importa o placar, precisamos nos apoiar.

Se esses jogadores ganham milhões, significa exatamente que, para nós como povo eles são extremamente importantes, são de grande valor para esse país. E não me diga que isso é mentira, caso contrário, você e eu não teríamos parado nossas vidas, nosso trabalho e nossa economia para assistimos a esse show.

Então, precisamos entender que esse placar nos diz que precisamos mudar nosso foco. Não somos o país do futebol. Temos ótimos jogadores e jogamos muito bem, mas somos muito mais do que isso. Somos o país de um povo multifacetado, criativo, alegre e bonito, MAS, que não se valoriza, não se enxerga, não se vê, logo, não sabe se apoiar, principalmente quando vai mal. Um povo que se espelha e mede sua capacidade pelo estilo de vida dos "jogadores".

Alguns países tem ídolos como Abraham Lincoln. Esses, são os nossos.

Embora eu só ouça críticas quanto aos jogares (ganham muito, vivem bem e jogam pouco), 80% do país trabalha duramente, sonhando com esse estilo de vida: ganhar muito, se divertir e ter muito sucesso. E acredito até, que é por isso que os torcedores são tão duros quanto ao apoio quando o time perde, pois há um cobrança inconsciente que diz: "trabalhamos muito duro, para bancar a mamata dos jogadores", mas tudo é escolha.

Oi????
Escolhemos colocar nosso valor enquanto pais, num investimento de altíssimo risco. Eles não estão num campeonato de matemática, é um jogo de futebol, e perdemos! Tudo? Não, ainda temos a mediocridade de nossas vidas brasileiras e o sonho de um dia: ganhar muito, se divertir e ter muito sucesso. Se não for como jogador de futebol, pode ser como fukeiro, as duas estão em alta.

Pior do que perder, é não aprender com isso.

Mais uma vez, se a Presidente está onde está, se os jogadores ganham o que ganham, eles são reflexo dos nossos valores internos e desejos mais íntimos. Sendo assim:

Obrigada pelo tapa na cara Seleção Brasileira!!!

Eu defendo a Dilma, sim!

Tá atrasado eu sei, mas não ia deixar de postar minha opinião sobre o vexame do primeiro jogo do Brasil. Me senti envergonhada em assistir a torcida a mandando para lugares onde eles mesmos não gostariam de ir.

Não estou defendo partido algum, nem nenhuma das atitudes ou decisões tomadas ou não por ela e seus companheiros, nada disso. Parto do princípio do "não faça com os outros, o que não gostaria que fizessem com você".

Ali existe um ser humano, 
e acredito verdadeiramente que ela precisa ser respeitada como tal,
 antes mesmo da sua autoridade de Presidente.

Tente por um segundinho se colocar no lugar dela. Não se faz isso com ninguém! Ela é uma pessoa, uma mulher e sim, um ser humano. Gente que faz isso com outros, não merece respeito. Sabe aquele outro ditado: "respeite para ser respeitado"?

Com certeza, um palhaço sem alma, começou a gritar essa babaquice e a cambada de papagaios foi atrás, achando engraçado e anarquista.

É nesse momento que escuto uma dúzia falando "ela não respeita o povo, como nós vamos respeitá-la?", se ela comer cocô, você vai comer também? Então, não tenha sua atitude baseada na atitude dos outros. Isso é pensamento de gente truculenta e maria-vai-com-os-outras. É ser humano, é ser humano! Não importa se é branco, amarelo, pobre, rico, jogador, mendigo, advogada ou Presidente. Não há relatividade nessa questão, e você não pode exigir, aquilo que você não têm.

É claro que ela sabe que como presidente, vai levar na cachola pelo bom ou pelo ruim, sabendo que, a análise dos dois lados, é relativa mediante a posição e classe de cada brasileiro que lhe aponta o dedo.

Enfim, estou defendo aqui o ser humano. Me senti muito mal por ela. Me senti mal pelo Brasil. Por esse vexame do próprio brasileiro não respeitar sua imagem internacional, isso fala muito sobre, como nós resolvemos nossas dificuldades internas: colocando a culpa no outro e o utilizando como bode expiatório.

Sabe, as pessoas pedem educação, mas esse tipo de comportamento não se aprende na escola, é dentro de casa! Tenho certeza que a maioria das pessoas naquelas arquibancadas não fazem parte das classes C e D, se fossem, até justificaria tal comportamento.

Será que é na escola que se aprende a não fazer bullying com o amiguinho? Porque isso para mim foi um puta de um bullying internacional!!!

Será que xingar a Presidente  em rede internacional, não é um desserviço para as crianças, afinal de contas, elas são pequenos macaquinhos de imitação, né verdade? Não esquecendo, que esses macaquinhos serão os políticos gorilas de amanhã, blz? E terão na sua bagagem emocional, o magnífico dia que bradaram um "Vai tomar no Cú!" internacional à autoridade presente. Olha que ensinamento show de respeito à autoridades!!! Teremos crianças e adultos exemplares amanhã, hein?

É o brasileiro fazendo a sua parte, né verdade???

Porque essa galera que a mandou tomar na olhota, não ficou em casa como forma de protesto? Seria show, ver as arquibancadas vazias na parte dos brasileiros. Um protesto silencioso, educado e muito mais efetivo do que xingar em público.

Mas não, mesmo reclamando das roubalheiras e blábláblá, o palhaço foi lá, gastou uma nota numa cadeira na arquibancada só para encher os bolsos da Fifa e humilhar a mulher.

Protesta na urna amiguinho! Eu há anos não voto em um sequer, simplesmente porque nenhum deles me representa.

Foi até mais educado, mas ideal mesmo, era ninguém ter ido.

Não estou falando de política, nem vou falar, gosto das coisas vistas sobre o ponto de vista da unidade. Observando como eu e você, resolvemos as diferenças no dia-a-dia, mostra um mapa real do "Poder" amanhã. A gente escolhe quem a gente se identifica.

Então, como assim, querem chutá-la e humilhá-la tendo sido ela escolhida pelo povo? Quando a galera faz isso, só demonstra a inaptidão em se responsabilizar pelas próprias escolhas.

E tem outra, quando toooooooooodo mundo só diz que o Governo dela é ruim, é ruim, é ruim, eu logo desconfio dessa verdade, pois acredito profundamente que "a unanimidade é burra". Ô se é!!!

Posts Relacionados:
Sobre a postula dos brasileiros da Copa: A Copa de um Povo Brasileiro Corrupto
O que eu acho sobre as Eleições: Eleições de um Povo Ignorante por Vontade Própria

A Copa de um Povo Brasileiro Corrupto

E aí a copa chegou! E...

A água de 2,00 foi para 10,00.
O táxi de 15,00 (pelo taxímetro) vira 90,00 (sem taxímetro).
Um peixe-frito de 30,00 vai para 150,00.


E isso é fichinha para uma lista enoooooooorme que nos conta sobre atos de extorsão. Além de ser oportunismo e mal caratismo, é também uma forma de corrupção.

Não importa se você está super faturando 10 reais ou 10 milhões a mais, não é certo, não é justo e não é seu.
Não importa se você vende água mineral na rua ou é um político, a postura é a mesma.
Não importa se a pessoa é da França, dos Estados Unidos, se é um sheik ou uma faxineira, o preço tem que ser o mesmo para todos, independente de Copa.


Péssima postura empreendedora, ninguém vence na vida se dando bem em cima dos outros. É uma distorção de valores morais e sociais absurda.

Quer lucrar na Copa?
Converse com seu fornecedor e consiga um preço mais em conta exatamente porque irá comercializar uma quantidade acima do normal, mas, sem aumentar o preço;
Invista em qualificação;
Seja bacana;
Aposte no bom atendimento;
Seja solícito, gentil e cordial da mesma forma que gostaria que fossem com você.

E você cliente: NÃO PAGUE!!!!
Tire foto, divulgue as arbitrariedades, grave áudio, vídeo e compartilhe.

Tem uma uma página no Facebook para os abusos praticados aqui no Rio que chama-se Rio $urreal. Curta e aproveite para divulgar qualquer situação de abuso.

Vamos fazer nossa parte de verdade!


Tome conta do que é seu! [Bichos, Filhos e Cigarro]

Eu não tenho cachorro, mas tenho que andar na rua desviando da porra do cocô de quem tem.
Eu não tenho gato, mas tenho que conviver com a porra do fedor do mijo do gato de quem tem.
Eu não tenho filhos, mas tenho que aturar a porra dos gritos dos filhos dos seres pseudo humanos que não os educam.
Eu não fumo, mas tenho que aturar a porra do fedor da fumaça de quem traga.

Inconveniência. Será que o ser humano sabe o que é isso?

Eu devo incomodar alguém, com certeza. Ainda não sei no quê, mas devo ter algo, com toda certeza.

Sou muito cuidadosa com o respeito aos outros, mas, isso não me exclui de nada. Não entro na casa de ninguém sem pedir licença, não abro a geladeira sem a intimidade e permissão necessárias para isso, fico atenta se estou na pista de velocidade e alguém ainda mais veloz quer passar, ligo setas, sou louca por música, logo, uso fones de ouvido, enfim, sou antenada nesse lance de não ultrapassar o limite entre mim e o próximo. Eu simplesmente faço minha parte, e me sinto bem comigo.


Mas pqp como tem ser humano incomodador e sem noção nesse mundo!

O pior disso tudo definitivamente são os "donos" desse circo: é a dona de cachorro que acha que você não pode reclamar quando pisa na merda do cão dela, nem a dona do gato-mijador que impregnou a porta do teu carro e muito menos a mãe que fica puta se você reclama dos gritos enlouquecedores das crianças-du-mal que ela pariu. O fumante? Vou nem comentar.

Essas são somente algumas situações que tem rolado na minha vida ultimamente, mas o lance de situações onde pessoas faltam com respeito ao limite do próximo, é muito extenso.

Observação a parte, e já fiz um post sobre isso, preciso dizer que esse ativismo animal é chato pra caralho! Eu hoje em dia até gosto de bichos, mas não quero ter um. Aliás, bicho e filho são praticamente a mesma coisa, porque o que mais tem por aí é criança que mais parece um animal.

Masssssssssssss, o mais absurdamente interessante dessa palhaçada toda é, que quem OPTA por não ter bichos, filhos ou não fumar, é que são os cruéis-vilões-sem-coração da história.

FODA!

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -