Postado por : Monik Ornellas

Há indignação nacional ao caso Isabela, alguns anos atrás foi o Pedro, teve o garoto que o motorista passou com o ônibus por cima da cabeça, amanhã será o Maurício ou a Joana.

Nesse mesmo segundo milhões de atrocidades estão acontecendo por todo mundo e todos se revoltam. Se revoltam ao ponto de invadir o prédio e fazer justiça com as prórias mãos.

Esse é só mais um caso que ganhou repercussão entre muitos que acontecem, e devemos fechar os olhos para isso? Claro que não. O fato é, que só se dá atenção à GRANDES tragédias, quando vivemos diariamente pequenas tragédias que num efeito dominó nos transformam em armas ambulantes.


Armas que pensam, arquitetam, planejam e executam com maestria. Somos muito piores que animais ditos "selvagens", eles agem pelo instinto e matam quando famintos e de alguma forma na natureza isso se enquadra em um ciclo natural entre presa e predador.

Mas, e nós?
Será que estamos num ciclo natural de matança cruel arquitetada? Não temos predadores naturais, a não ser nós mesmos. Evoluímos em tecnologia, mas continuamos selvagens no que diz respeito a evolução e consciência. Estamos chegando a um ápice onde um olhar desconfiado será motivo de discórdia, se já não o é!

Você consegue perceber que os grandes atos são a extensão dos pequenos?

Estamos vivendo numa sociedade violenta nas pequenas coisas e são essas que crescem. Todos falam que a cidade está violenta, mas a violência está dentro de cada pessoa, mesmo até dessas que não se permitem sair à rua por medo. Violência não é só matar, agredir ou assaltar, esse é o ápice, o descontrole e o irracional. Mas ela começa nas pequenas coisas e vai se perdendo num continum.

Existe uma urgência no ar, todos queremos ser atendidos com presteza, não queremos ficar parados ao sinal, queremos nosso lugar na fila da frente mesmo que isso implique atravancar um cruzamento (farinha pouca, meu pirão primeiro), não se dá a vez, não se levanta para os idosos muito menos para os deficientes (afinal já que ele está marcado para sofrer, quem somos nós para abrandar seu purgatório, não é verdade?).

Nosso tempo e necessidade são urgentes, sempre! Imagine todos nós pensando e agindo dessa forma? Isso está realmente acontecendo, é real.

Você pode me dizer que isso não e violência, mas sim falta de educação, mas eu te digo que não. Qual é a reação imediata quando não somos atendidos com a brevidade que buscamos? Violência. Ausência de consciência, paciência, educação, delicadeza e humanidade que se transformam em violência gratuita.

Pessoas discutindo no trânsito, no banco, no ônibus, na rua, em casa. Está difícil conviver socialmente, principalmente porque a solução dos problemas e a responsabilidade está sempre no outro! É um jogo de empurra social.

Por favor amigos, há anos combatemos violência com violência. O pensamento violento se transformando em palavras e atos violentos.

Paz é um lugar único dentro de nós. Nos tornamos o produto das exigências da sociedade, e esse modelo não é "humano". Na verdade para uma maioria "ser humano" está meio demodê, é chato e dá trabalho. Porque pensar e agir de forma correta e sincera nos dias atuais é ir na via contrária dos valores da sociedade que vivemos.

E só esse comportamento, já é um ato de violência a essência do ser humano que é pura, cristalina e divina.

Deixo uma fotenha blenblen para amenizar o post, rs.




(Não esqueça de confirmar a solicitação em seu e-mail)

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -