Postado por : Monik Ornellas

Como é realmente essa coisa de ‘pessoal’ e ‘profissional’? Sempre me incomodou demais ter que manter posturas em certos ambientes, aliás, isso ainda me incomoda um pouco.


É interessante como em alguns ambientes essa necessidade de ser extremamente educado e polido, embotou a expressão das emoções,  nada de passionalidade ou alegrias excessivas, contenha-se!



Você pode ser naturalmente alegre em seu trabalho como é com seu amigos? Claro que não, mas a alegria faz parte de você ou não?


Eu sou Monik, mas, desempenho diversos papéis no meu dia-a-dia. Sou filha, estudante, professora, namorada, aromaterapeuta, escritora e por ai vai. Eu Monik, ao longo da minha doce vida, nos caminhos do erra aqui, erra de novo ali e acerta uma vez acolá, fui desenvolvendo e aprendendo conceitos e valores sobre o que é “certo e errado”. Lembrando: conceitos e valores que servem para mim e somente para mim!


O fato é: Como vou exercitar esses conceitos e valores? Por meio dos papéis que exerço na vida comum, certo?


Como eu posso exercitar a paciência com um cliente e não exercitá-la com minha mãe? Como posso ser educada e humilde perante meu chefe e ser arrogante e petulante diante dos amigos? Como posso ser extremamente legal diante dos amigos e fechada e rabugenta em casa?


É muito interessante essa quantidade de facetas que temos e nem nos damos conta! Mas é bem assim que acontece. Por isso não entendo por quê as pessoas ficam falando que tem que separar o pessoal do profissional.


Veja só, uma coisa é você adotar uma postura profissional, enquanto com os amigos você está mais entregue, porém, existem pessoas que montam verdadeiros personagens no trabalho e ao final do dia elas praticamente se desmontam, quase como um traveco! Mas o travesti de verdade ainda é mais autêntico, por que ele faz do ato de interpretar uma arte caricata.


Penso que quanto mais transparentes formos, mais leves e em fluxo dentro de todos esses papéis ficamos.


O que no seu pessoal que pode desabonar seu profissional? Se existe algum aspecto dentro disso, então realmente eu entendo porque as pessoas fazem essa separação, mas vejo que seria muito legal, um ser a continuidade do outro, sempre com o objetivo de exercitar nossos valores e com isso nos engrandecer como pessoas. Não para os outros, não para o chefe ou para a família, mas para nós mesmos.




Então, eu enquanto Monik, tenho um compromisso com a integridade que permeia meus papéis, procuro exercitá-la acompanhada da postura que cada área pede, e creia isso é uma ginástica, mas não tenho como me particionar em pessoas diferentes atuando ora como profissional e outra pessoal, isso me soa dúbio e sem senso.


Em todos os meios que atuamos deixamos um ‘Q’ de nós, não importa se no pessoal ou no profissional, há aquela energia comum que envolve os dois que nos dá uma identidade ao ponto de gerar a percepção: “hum, Monik esteve aqui”.


Eu acho que todas essas áreas conversam diretamente umas com as outras e nos contam muito sobre nós, mas sei que tem muito profissional, como também empresas que ignoram que uma pessoa tenha vida pessoal, família e necessidades reais. Isso significa que elas usam uma parte ínfima desse profissional. Que pena!


Nossos empregos e profissões são para nos aperfeiçoar enquanto pessoas, para melhorarmos e descobrirmos mais sobre nós e nossos potenciais (acho que já escrevi isso um sem número de vezes aqui, mas sempre vale repetir, rs), e é assim como todos os outros papéis que desempenhamos, em cada um há muito o que se aprender.


Mas você sabe, eu vejo muita máquina se disfarçando de humano por aí, será você uma delas? Hum... isso dá outro post... rs.



3 Responses so far.

  1. Anônimo says:

    Estou aprendendo a ser mais eu mesmo e menos sociedade. Estou aprendendo a soltar as amarras que me obrigam a ser polido e educado, mas também estou aprendendo o limite necessário para que o respeito ao próximo prevaleça. Caminho pelo meio termo, entre o respeito pelo próximo e por mim mesmo. Excelente artigo.
    Parabéns!

  2. Eu que agradeço para vc deixar um pouquinho de sua presença por aqui!
    Abraço!

  3. rosemeri says:

    sempre pensei nisso deixo uma marca sempre que passo no emprego, familia, amizades etc...
    gostei do resumo que li é por aí mesmo que enntendo devemos deixar nossa fragância risos
    muito bom parabéns!
    Rosemeri

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -