Postado por : Monik Ornellas

Essa semana entrei numa baita sinuca-de-bico, quando um colega não-tão-colega assim, me procurou para trocar idéias com objetivos de obter uma opinião minha. Acho o máximo quando as pessoas pedem nossa versão, quando na verdade, querem mesmo é ouvir algo para reforce a dele, ainda mais se tratando de um MAGOENTO pseudo-sensível. É bem difícil dialogar com esses seres.

Ninguém me entende...
Sensibilidade é algo inerente ao ser humano, TODOS somos sensíveis, TODOS. Se você não for um macaco, um cachorro ou um cavalo – que também têm campo emocional, porém, não tão refinado como o nosso – você é uma pessoa potencialmente “sensível”.

O que acontece com a sensibilidade a meu ver, é uma questão de pura administração. Tudo aqui nessa terrinha parece ser sobre como administrar: coisas, finanças, objetos, tempo, pessoas, arquivos, trânsito, redes e nossas emoções não ficam fora desse contexto.

Emoções não são ondas que vêm e vão, normalmente elas vêm e ficam, só que da mesma forma que resolvemos excluir, editar ou mudar um arquivo de lugar, podemos escolher nos liberar de certos sentimentos, dar uma faxina em arquivos emocionais extremamente carregados que estão quase travando nossa memória, como também mudar as prioridades das coisas dentro de nós, e nada nos nos exime da possibilidade dar um 'format eu:' e, começar tudo do zero.

Administrar não é para qualquer um, eu por exemplo, sou péssima administradora de coisas e dinheiro, mas excelente nas emoções e cada um tem seu jeitinho tosco de ser: tem aqueles que sentem e sentem mesmo e isso faz parte da vida, tem os que embotam o que sentem, tem outros que fingem que não sentem (e fazem isso com tanta maestria que eles mesmos acreditam), tem os que vivem na corda-bamba da administração emocional e, os magoentos, uma classe à parte, com certeza.

Tem uma galera colocando o coração no congelador, faz isso não!
Nossa natureza é quente e pulsante!.
Muito bem, o magoento é uma pessoa que além de não administrar seus sentimentos, joga a responsabilidade dessa batata-quente nas mãos dos outros. Ele não dispõe de mais sentimentos do que os outros, o que acontece é que seu HD emocional está totalmente entulhado de coisas descartáveis e ao invés de fazer uma limpeza e dar uma desfragmentada, vai jogando mais tralha dentro dele e fazendo com que as pessoas à sua volta tenham que lidar com as emoções e sentimentos que ele mesmo não administra, além de obviamente, terem que administrar suas próprias pendengas emocionais (nem pensar em jogar essa bola pra um magoento!).

O magoento é um chantagista-emocional-profissional-inconsciente. 

Totalmente. Com o jeitinho e doçura que lhes são peculiares fazem com que o mundo se molde à sua sensibilidade, como se eles fossem mais frágeis que os outros. Todos somos frágeis em algum nível.

Eu Monik, tenho um jeito peculiar de me colocar – cada um tem o seu -, pessoalmente tenho uma voz mais grave, falo com o corpo, logo, ao explicar questões para um magoento ele decodifica a coisa como se eu o estivesse agredindo, sendo fria ou quem sabe insensível. A verdade é que, para que um pseudo-sensível se sentisse “confortável” com minhas colocações eu teria que 'mudar meu tom de voz, olhar em seus olhos refletindo o calor do meu coração, pegar em sua mão e lhe falar com carinho do universo'. Muito bem, dependendo do dia, da hora, do tempo local, dos meus hormônios ou do nível da minha paciência, não teria problema algum em fazer isso, mas não sou eu, e não é meu jeito.

Isso de forma alguma significa que eu não respeite o jeito “sensível” do dito, pelo contrário, já sabendo disso, muita vezes até evito confronto com essa galera. É uma forma de respeitar a mim e também à eles.


Circo de Máscaras
É preciso usar uma dessa para conviver com um magoento.
Assim, o magoento fomenta á sua volta pessoas que não se expressam com liberdade, pois estão o tempo todo pré-ocupadas se irão magoar o “sensível”. Dessa forma, ele mesmo cria um mundo de pessoas não-autênticas em torno de si.  Não que elas não sejam autênticas, mas, por que estão muito mais preocupadas em não magoá-lo, do que expressar o que sentem e é nesse processo que muitas pessoas também se magoam com os magoentos. Círculo tosco, né?

Mas veja só, quando o sensível se deparar com a verdade por trás de cada um, se “magoará” de qualquer forma. Não há como evitar isso, é impressionante, é como uma premissa, quase uma arma que essas pessoas usam, contra elas mesmas.

Já para aquelas pessoas que se expressam e mandam a letra na lata – não necessariamente a verdade, mas o que pensam, que também não deixa de ser uma verdade pessoal -, o magoento introjeta a farpa e ponto para a mágoa! E haja rins pra essa criatura!

Humm... você me magoou!
O magoento é um bebê chorão que deseja que o mundo atenda ás suas necessidades emocionais quando ele mesmo nem sabe quais são.

Admito que tenho certa dificuldade de me relacionar com pessoas magoentas pois tenho a sensação de nunca estar tranqüila na relação – amizade, namoro, trabalho, etc -, fico o tempo todo com a sensação de que há cobrança invisível sobre algo que não faço a menor idéia do que seja, alguma coisa está sempre fora do lugar.

Uma constante que encontrei entre os magoentos que conheci – não são todos -, é que tudo que eles fazem tem como objetivo, o retorno: eu te dou um beijo e você também me dá um beijo, eu te dou um abraço, me dê um abraço... Mas retorno não é legal Monik? É, quando é natural e espontâneo.

Sou super, mega a favor da sinceridade, acho que ela é insubstituível e evita muitos problemas posteriores, se é um amigo posso até dizer que não estou, naquele momento, conseguindo liberar o ganho por trás da atitude, e tudo bem. Faço, mas faço consciente. Mas são poucos o magoentos que conseguem dizer: olha, estou te dando esse chocolate, mas QUERO um bombom seu... não, a maioria faz aquela carinha-fofa acompanhada de um ‘né-nada-não’, daí ele fica extremamente magoado com você, mas não te diz o porquê da treta.

Coisas óbvias, só são óbvias para quem cria a piada. Logo, se você não falou o quando, o onde ou o porquê, não é óbvio! Escreva, desenhe, ninguém tem bola de cristal e nem vem com síndrome de 'Jeannie é um Gênio' para tentar o tempo todo acertar em cheio suas expectativas. Nem Jeannie conseguia.

Sim, amo!

Fora essas pequenas ressalvas, são apenas seres humanos, rs.

Abraço!


2 Responses so far.

  1. otimo post!

    cara conheço mta gente assim e realmente da medo!

    MAIS PERFIS! MAIS PERFIS! MAIS PERFIS!!!

    rsssssss
    bj

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -