Postado por : Monik Ornellas

Olha como eu falo na cara!
Olha como eu tenho opinião!!


É assim que nossas crianças estão crescendo, aprendendo que atitude é o levantar de um dedo?
Oi??????

Uma coisa que descobri é que, ter atitude não significa usar nenhum tom de voz, muitas vezes uma grande atitude vem do ato de ficar calado. Eu entendo que querer convencer aos outros é o mesmo que querer convencer a si mesmo. Querer demonstrar atitude se mostra para mim uma atitude desesperada na busca de um posicionamento de si mesmo.

Eu já bati muita boca, depois entrei na fase de dar as costas, mas as duas formas eram de uma pessoa que julgava as idéias alheias e acha que que as minhas "eram mais sábias, mais certas e mais verdadeiras", e eram, pra mim. E sempre serão, somente pra mim.

É óbvio que isso não me impede - e nem deveria - de estar aqui escrevendo e compartilhando o que penso, criticando o que vejo, porém, hoje eu entendo que cada um tem sua verdade, e ao mesmo tempo percebo que muitos se vestem de "atitude" quando na verdade não tem nenhuma. São somente um produto, um fake de si mesmo. Eu já fui fake de mim mesma. Falava, falava, mas no fim eu mesma me questionava... será? Mas eu precisa falar alguma coisa, senão o que os outros podiam pensar? Fato, esse é um pensamento de auto-engano e sabotagem da própria autenticidade.

Por isso, entendo que a verdadeira atitude não tem nada a ver com colocar o dedo na cara do outro, ser pseudo-sincero, arrogante, prepotente ou pseudo-sábio (vide Porque minha verdade é "mais melhor" que a sua?). Estamos todos compartilhando nossas pseudo-verdades, reais para os olhos que nos cabem e para a extensão de consciência em que cada um atua.

Eu tenho visto isto. Essa necessidade causticante de mostrar o quanto se tem "atitude". Facebook, twitter, pessoas falando na rua. Todo mundo quer ter uma opinião, se posicionar numa causa, juntar decibéis com palavrões numa falsa química "eu tenho voz".

0 Atitude, 100% Falta de educação.

Não vejo que seja realmente assim na realidade. O que vejo são pessoas muito inseguras na verdade, elas até querem ter atitude, é como uma ânsia dentro delas, algo ao qual elas tem que corresponder e é essa ânsia que vêm fazendo a galera jogar esse monte de frases-recado em seus perfis, twitters ou xingar por nada. Muito bitoladamente-tosco!

Recados indiretos. Jogam-se fraseszinhas e espera-se que a carapaça sirva em pelo menos 60% da platéia-social. Isso não é comunicação e também não é atitude. Atitude é off-topic chegar junto à quem incomoda e mandar a real no salto, rola deletar do perfil ou da vida, agora destilar indiretas, é tosco! Denota claramente a real dificuldade de comunicação do ser, quem faz online, faz pessoalmente e vice versa.

Mandar as pessoas tomarem em %$#@*$#, assim do nada, só porque deu vontade ou ficou de saco cheio da própria timeline? Sei lá, eu entendo que liberdade de "compartilhar" é uma coisa ampla, mas esse comportamento não entra na minha cabeça. Quebra umas pets, xinga, deixa a raiva sair, agora mandar everybody para lugares indesejados do nada = non sense = ridículo.

Desde quando isso é ter opinião???

Não sei quem inventou a idéia que falar palavrão a torto e direito, faz um ser mais.... polêmico, enérgico ou com opinião? Dependendo da colocação do palavrão, eu entendo como mal educado mesmo. E a galera está praticamente 100% mais para mal educada do que politicamente bem colocada.

Mas e aí? Essa é a era do Foda-se: reflexão 0, foda-se na lata 10. Muita mensagem impensada, muita gente com cérebro-caroço-de-ervilha que segue a linha "fale alguma coisa, nem que seja merda enlatada", vide Luíza, BBB ou qualquer notícia de mídia onde as pessoas se bitolam como urubus e repetem trocadilhos como papagaios bem treinados.

É um pensamento do tipo, "se está todo mundo falando, não posso ficar de fora", ficar de fora é como ser um alienado e ser alienado é como estar excluído, não-inserido e a galera tem um pavor inconsciente dessa coisa de "exclusão", que também já virou mote de mídia.

Na verdade, ter opinião própria dá trabalho e queima alguns muitos neurônios, pois é necessário não só contestar e seguir linhas de pensamento diferenciadas, é também buscar novos sentimentos  e cruzá-los com  experiência-respirada.

Por isso cada um de nós tem sua verdade, ou deveria ter, se o povo não tivesse preguiça de criar novas experiências e percepções ao invés de repetir refrões e palavrões à esmo buscando a aprovação da platéia animal-bitolada.

Eu penso, tu pensas... nós expandimos.

Atitude de verdade é um ato pacífico.

Não tem nada a ver com o que as pessoas acham sobre o que você pensa, mas sim como você se sente sobre o que pensa. É quando a gente simplesmente sabe e se conforta na própria verdade, sem necessidade de convencer a quem quer que seja. É se colocar sim, expor a própria opinião sim, sabendo que o outro também tem suas verdades e que o ato de compartilhar é como uma troca de percepções que somente engrandece as partes, porque verdades são auto-conceitos-flexíveis que tendem a crescer quando nos permitimos a ver além do próprio umbigo.

Abraço!
Monik Ornellas

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -