Postado por : Monik Ornellas

Sou carioca e moro no Rio. Um cidade realmente linda, mas não tão maravilhosa, pois, nem tudo é paisagem.

Nos últimos anos vêm crescendo aqui no Rio - e por enquanto só posso falar daqui -, uma epidemia de péssimo atendimento, juntamente com o crescimento de preços abusivamente absurdos, em todos os setores! É uma filosofia escrota do "eu cobro quanto eu quero e você paga se quiser".

Então, a dinâmica é essa: você paga caro e ainda é escurraçado como um merda. É isso aí, literalmente.


A pior das situações é a sensação de que nada pode ser feito para que isso mude e não bastando ser mal atendido pelo infernal atendimento eletrônico de empresas, o povo anda cagando para o povo: É o trocador que não olha na tua cara, o motorista que pensa estar dirigindo um liquidificador, a moça da lanchonete que te atende rosnando, os médicos fatalistas - que também não olham na tua cara - e te enchem de remédio pelo resto da vida ou te tatuam com doenças incuráveis, é o vendedor que te olha como se você fosse um estorvo, ou na pior das hipóteses, são os profissionais de saúde que te tratam como lixo, etc, etc, etc, etc, etc....

O quê fazer? Eu não volto e não consumo, me recuso a pagar valores abusivos. Uso as mídias tais como Foursquare (agora Swam), Reclame Aqui e etc, para avisar à todos que ali você não é bem tratado. E também podemos exigir nossos direitos com processos (confesso que ainda estou capenga nessa parte). Se todos começarmos a colocar placas virtuais e reais de estabelecimentos non gratos, tudo vai mudar. Esse é o nosso poder, um puta poder!


Sabe qual é o interessante disso? O médico, o atendente, o enfermeiro, o motorista e todo resto de péssimos profissionais, esquecem que a vida caminha numa rota de mão dupla e no momento que eles saem do trabalho, se transformam em passageiros, clientes e pacientes, também. Mas é claro que eu e você gostaríamos que essas pessoas nos atendessem bem, simplesmente por que lhes faz bem, não por medo de colher os frutos daquilo que cultivam.

Estudo muito para melhorar meu negócio, na minha visão de empreendedora, grande parte da responsabilidade está na falta de formação empresarial dos donos de estabelecimentos, que tem uma administração feita nas coxas, embasada em ganhos abusivos que incluem pagar e tratar mal o funcionário, e tudo isso que resulta num péssimo atendimento ao cliente. SEBRAE tá aí meu povo! Vamos nos qualificar!

Resumindo:
- Mão de obra desqualificada;
- Falta de treinamento;
- Ausência de cultura/formação empreendedora;
- Pensamento pobre.

Pacote básico de atendimento na compra de um croquete.

Gosto de atender meus clientes com o cuidado, o apreço e a qualidade que eles merecem por me proporcionarem o prazer de compartilhar minhas criações com eles. É muito gratificante.

Todo péssimo atendente tem dentro de si o potencial de ser um profissional nota 1000. Acredito nisso verdadeiramente. Só faltam os incentivos e estímulos certos.

Do lado de cá do balcão, como cliente, não aceito nada menos que o melhor na medida do que estou pagando. Sempre na gentileza, às vezes, em tons firmes, mas nunca na grosseria. Nunca.

Não vejo como eu poderia ajudar a melhorar um serviço que já é ruim e desqualificado, sendo mal educada e grosseira. Posso ser firme, enfatizar meus direitos, exigir qualidade, mas sempre com educação.

Até porque, não será a grosseria do outro que irá me definir se tenho educação ou não. Essa é uma escolha pessoal e intransferível sobre como levo a vida.

Licença Creative Commons

Creative Commons License
Bitola Humana by Monik Ornellas is licensed under a Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://consciencianarealidade.blogspot.com.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.

Verborragia em ebook, compre já o seu na Amazon.
10 frases do dia-a-dia que influenciam sua vida.

Curta!

Mais lidos

Seguidores

Assine o Bitola por E-mail

- Copyright © Bitola Humana -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -